Voltar á escola? Ou não voltar á escola?

Voltar á escola? Ou não voltar á escola?

Eis a questão!

          Depois de passarmos praticamente um ano “longe” do ambiente escolar estamos na expectativa de como se dará este retorno á escola.
Pais, crianças, adolescentes, professores, educadores e profissionais da área da educação estão vivenciando pela primeira vez este retorno tão diferente dos outros retornos.
          Há um misto de ansiedade e felicidade, muitas dúvidas e incertezas, porém no meu ponto de vista, existe uma tentativa de retorno á escola, visto a importância de estarmos “dentro” dela.

 


          Muitos relatos de pais e mães dizendo o quanto seus filhos e filhas tem sentido falta do ambiente escolar, alguns precisando de apoio psicológico e até de medicação para conseguir lidar com a falta das interações que acontecem na escola.
Considerando a importância que a escola tem na vida dos alunos e professores, penso que este retorno seja necessário. A forma como retornaremos ainda nos gera certa angústia, pois estamos num momento muito diferente dos outros anos e o desconhecido sempre nos assusta.
          Porém, tenho conversado e orientado algumas famílias a considerarem qual opção seria o melhor para o seu filho e sua filha, visto que cada família terá esta autonomia. Penso que é de fundamental importância considerar como está o emocional de cada um, e se necessário buscar auxílio de profissionais da área da  psicologia e psicopedagogia.

          Crianças e adolescentes aprendem nas interações e trocas de experiências e isto ficou muito prejudicado no ano passado, por isso se faz necessário esta tentativa de retorno á escola.
Estamos todos aprendendo, nos readaptando e acredito que isto seja saudável, precisamos retomar nossas rotinas, sem esquecer das medidas de proteção é claro, mas confiantes de que dias melhores virão.

Bom início de ano letivo para todos nós!

Psicopedagoga Ana Néri Marsílio Borges
Clique aqui para conhecer mais sobre a psicopedagoga Ana N. M. Borges

 

psicopedagogia psicologia famílias ensino educação psicopedagocia projeto Guiar família

Comentários: